24.12.07

Aterrizei no que antes podia chamar de minha casa. Hoje não mais lar, nunca doce lar.
Doce o que?Nada.
Se nunca doce, hoje menos ainda.
Com os urros do segundo andar, amargo.
Mas persisto com o sorriso inabalável de "garota promocional".
Sorriso promocional mas verdadeiro, daqueles que a gente tira do cú.
Não deixam de ser verdadeiros, porém doloridos.
A vida é dolorida, porém verdadeira?
Verdadeiro o que?Nada.
Doce o que?

Nenhum comentário: